image_pdfimage_print

Publicado no Jornal de Piracicaba em 18/12/2020

Parte 1

Estamos finalizando um ano atípico que marcou mudanças rápidas na forma de viver, trabalhar, em curto espaço de tempo tudo precisou ser redefinido bem como praticar o marketing. Existe uma compreensão errada do que é praticar marketing, pois, para muitos, é apenas comunicação.

O marketing consiste em um conjunto de esforços criativos e táticos adotados  para adaptar produtos e serviços ao mercado olhando sempre o que ocorre no macro ambiente externo identificando no contexto as oportunidades e ameaças e definir por ações de marketing com objetivo de oferecer produtos e serviços atendendo as necessidades de nosso público alvo.

O investimento em marketing em especifico para o setor de varejo foi muito restrito com a paralização de algumas atividades produtivas, aumento do número de demissões; redução de trabalho para os profissionais autônomos a insegurança pelo novo contexto. O cenário imposto gerou muita insegurança levando emergir um consumidor analítico que olha e trabalha mais na percepção de como posso comprar e qual a real necessidade em adquirir o produto ou serviço.

Para o varejo que é o canal de relacionamento com pessoas, defino o como: “varejo é gente”, trabalhamos com pessoas e compreender as mudanças comportamentais é fundamental para o sucesso do negócio. Como estratégia de marketing pode-se atribuir que o principal foco foi a sobrevivência. Foi necessário o varejo redefinir suas ações de distribuição do produto propiciando uma rápida expansão para o varejo sem loja, o virtual.

Muitos gestores e profissionais definiram o marketing como um ano de ilusões perdidas. Precisamos ser realistas em relação à pandemia, mas não podemos esmorecer e deixar de buscar oportunidades. Retire o “S” da palavra CRISE e, assim, CRIE alternativas para dar continuidade a seu negócio.

Sabemos da importância do planejamento e nesse contexto foi necessário colocar em pratica uma boa administração do estoque e ter clareza da importância em trabalhar estratégias do marketing sensorial nas lojas físicas e para as lojas virtuais coube concentração do marketing de conteúdo podendo incluir nas ações os influenciadores.

Como primeiro passo para pensar as vendas de fim de ano levando em consideração às particularidades de 2020 o varejo físico deve redobrar as ações de merchandising no ponto de venda, técnicas de emprateleiramento, de exposição de produtos e vitrinismo digital.   Foi-se o tempo em que manequins eram o suficiente para chamar a atenção.

As vitrines digitais são as novas protagonistas das frentes de loja e podem ser consideradas como um entretenimento por si só. Com muitas possibilidades, permitem que a sua empresa passe uma mensagem para todos em sua fachada e cative transeuntes prontos para uma experiência nova. Fica mais fácil captar clientes e passar para eles uma ideia do que vão encontrar no PDV ponto de venda.

Trabalhar os 5 cinco sentidos, sons, sabores, odores e toques, garantindo uma percepção de todo os sentidos: visão, audição, paladar, olfato e tato. São eles que permitem a captação da atenção e levar o consumidor ao ato de compra. No caso de trabalhar ação de comunicação deve-se concentrar no conteúdo que a marca expressa ao público alvo.

O cliente moderno compra em PDVs pela experiência que consegue obter neles, o atendimento que recebe e com novas demandas em mente. A grande dificuldade do lojista com loja física consiste em compreender que a transformação digital não impactou apenas os negócios, que passaram a ser mais informatizados e conectados, mas sim desafiou o varejo de loja física a saber como oferecer mais valor para que o consumidor encontre um diferencial que justifique ir ao PDV.

O marketing para o varejo físico não reside mais em colocar uma grande quantidade de produtos na sua prateleira e garantir o estoque não é mais a única coisa a fazer. O lojista precisa praticar a interatividade no ponto de venda, agilidade, praticidade para que o consumidor possa sentir-se seguro e optar pela compra e estar seguro que se precisar de um pós-venda será atendido.

No próximo artigo abordaremos o marketing nas lojas virtuais e o comportamento do consumidor.